Tirando os pés do chão do barco!



"...Fique bem, fique firme, seja humana, pense no céu! Viva a sua humanidade em plenitude. Isso revela uma humanidade subjugada a Deus!"

Há conselhos que fazem toda a diferença dentro de nós. Existe a realidade dentro de nós e existe a realidade ao nosso redor. Parece que o inferno inteiro conspira para que a realidade interior seja determinada pela realidade externa. Daí, supõe-se, pela lógica, que, se o tempo está fechado e há vendavais, terremotos, tempestades... dentro tudo tem que nublar também. Tem que haver escuridão e pavor na alma ao sentir o barco fugindo de debaixo dos pés... E, até que seria justificável esse comportamento interno, tendo em vista que somos feitos de barro e nossa visão não é ampla o bastante para avistarmos a calmaria e o porto, antes do dia clarear.
E quem foi que disse que Deus não nos entende todas as vezes que nublamos junto com o tempo? Quem disse que Ele nos odeia quando nosso coração treme ao pensarmos na possibilidade de o barco afundar? Ele nos conhece e sabe de nossos processos... Ele sabe que temos tanto que crescer, e que, ainda assim, depois de crescidos, pularemos no colo dEle, temerosos e chorosos toda vez que o céu enegrecer e o barco balançar...
Será que todas as vezes que tememos ou choramos, Ele entende como falta de fé?
Acredito que não. 
Quando Tomé disse a Jesus que precisava ver suas marcas nas mãos, Jesus não se esquivou dele. Jesus o deixou tocá-lo a fim de que Ele viesse a crer. Jesus reage à nossa humanidade não com rispidez e desprezo - Ele reage à nossa fé pequena com a oferta de uma prova de que podemos, de fato, crer. Quando Marta e Maria choravam por terem enterrado seu amado irmão, Jesus não se enraiveceu pelo choro delas, Ele chorou junto. E deu a elas mais uma prova de Seu infinito poder.
Acontece que nem sempre poderemos tocar nas marcas do extraordinário. Nem sempre Ele vai chorar conosco e em seguida ressuscitar nosso irmão, acalmar a tempestade, abrir o mar, fazer os olhos cegos ficarem curados ou as pernas paralisadas saltarem da cadeira de rodas. Pode ser que tenhamos que acreditar sem ver. Pode ser que nosso irmão morra e fique morto. Pode ser que o, fisicamente, cego e o coxo permaneçam assim. Mas uma coisa é certa... Ele sempre vai estar presente. E, quando estamos alimentados do leite espiritual que Ele nos dá, a gente passa a entender, que melhor do que ver os sinais do "extraordinário" a nossa volta, é alegrarmo-nos na convicção de termos O EXTRAORDINÁRIO dentro de nós. Crer sem ver nos eleva à estatura de bem-aventurados.

Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram. (João 20.29)

E quando a gente entende que é nEle que está a fonte de nossa alegria e satisfação e de nossa paz - que não é uma paz comum, porque excede todo entendimento e não depende do sol raiando do lado de fora - a gente percebe melhor como sinais do extraordinário não a mudança das circunstâncias, mas a gente entende que o extraordinário faz Sua obra em nossas bases internas e não nos pés que tocam o chão do barco.
Para fixar nEle nossas emoções e colocar nEle nosso ponto de estabilidade e equilíbrio, Ele usa frases como as do topo dessa página. Ele envia anjos amigos pra dizer:
SUBJUGUE SUA HUMANIDADE AO DEUS QUE ESTÁ DENTRO DE VOCÊ NOS DIAS CLAROS OU NOS TEMPESTUOSOS. CHORE QUANDO PRECISAR, PORQUE TUAS LÁGRIMAS NÃO O AFASTAM, O TOCAM. PEÇA SEU COLO PORQUE ELE, ALÉM DE EL SHADDAI, É ABBA PAI. SEJA GENTE PORQUE ELE TE FEZ BARRO ANTES DE SOPRAR SEU FÔLEGO EM TUAS NARINAS...
MAS, APESAR DE TUDO, FIQUE FIRME. TUA HUMANIDADE NÃO PODE JUSTIFICAR O ENEGRECIMENTO DA ALMA. SER DE BARRO NÃO PODE TE LEVAR PRA LONGE DELE. LÁGRIMAS PODEM EMBAÇAR OS OLHOS MAS NÃO PODEM ENCURVAR TUA CABEÇA A PONTO DE OS OLHOS SE FIXAREM NO CHÃO.
VIVER A HUMANIDADE EM PLENITUDE É SER UMA HUMANA COM O PENSAMENTO NO CÉU.
Uma amiga me diz: Calma, tenha fé. Você precisa acreditar que tudo vai dar certo, que a tempestade vai se acalmar, que Deus vai curar, que o sonho vai acontecer. Não tenha medo! Você não pode desistir!
Outra amiga me diz: Se é tempo de chorar, chore. Seja humana. Não se permita ser mais forte do que você já é...
E eu, em meio a conselhos tão preciosos, pergunto a Deus: O que estás querendo me dizer?
E Ele me diz hoje: Estou te dando equilíbrio. Estou fixando teus pés em mim e te fazendo menos dependente do chão do barco. Estou te fazendo me ver como teu Sol quando o céu estiver negro. Estou te dando o que lhe é essencial e você não sabe. E, se o barco quebrar você terá quem nade com você até o Porto! Estou te dando a certeza de que o Porto está logo ali, ainda que a nuvem negra o encubra de teus olhos.
Minha oração hoje: Deus, meu Pai, que o Senhor continue nos estruturando - por dentro... e tire nossos pés do chão do barco e nos fixe em Ti. E retribua em dobro o que os anjos amigos tem sido e feito (dentro do barco, ou nadando comigo). Em nome de Jesus. Amém!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Que O Pássaro Me Ensinou

Gosto de Puro Hoje