No Compasso da Melodia do Espírito


"Meu filho, se você tomar posse das minhas palavras e guardar os meus mandamentos em seu coração,Terá ouvidos capazes de perceber a verdadeira sabedoria e um coração pronto a receber o discernimento."(Provérbios 2.1,2)


Estive meditando nessas palavras e meu coração transbordou de alegria. Quanta profundidade em tão poucas palavras. Que conselhos preciosos! 
Há aqui algumas observações bastante significativas.Vale super a pena passar um tempo apreciando.
Há duas condições bastante específicas no primeiro versículo, que abrangem não só o ato de tomar conhecimento das palavras, mas o acolhimento das mesmas no coração.
Deus profere as SUAS palavras e nós tomamos posse delas. Esse é o primeiro passo. A gente ouve e gosta do que ouve, ou seja, a gente "tem prazer" no que Ele diz. Nos apegamos às palavras que são dEle. O ser humano dá atenção especial ao que considera valioso. Esse primeiro conselho refere-se então a atitude de apegar-se a ESSAS palavras, a ouví-las e retê-las. É uma atitude de quem entendeu a preciosidade e beleza daquilo que está ouvindo. Eu então ouço, reconheço a importância e passo a amá-las.
O próximo conselho é para GUARDAR OS MANDAMENTOS NO CORAÇÃO. Significa abrigá-los no coração; não esquecê-los jamais. E a maneira de não esquecê-los, tendo em vista que são mandamentos, é amando-os e tomando o cuidado de praticá-los no chão da vida. Esses mandamentos passam a ocupar o centro da vida e esta passa a pautar-se inteira neles.
O segundo versículo segue como sendo a consequência natural da prática do primeiro.
Se tomarmos posse das palavras e abrigar no coração os mandamentos, não nos esquecendo deles, a promessa de Deus pra nós é que "TEREMOS OUVIDOS CAPAZES DE PERCEBER A VERDADEIRA SABEDORIA E UM CORAÇÃO PRONTO A RECEBER O DISCERNIMENTO".
Não se trata simplesmente de ouvir como todos ouvem. Nossos ouvidos adquirem a capacidade de distinguir perfeitamente o que é verdadeiro do que não é. Pra isso, o que é verdadeiro tem que ter sido definido como o padrão, a norma, o parâmetro. Se o texto fala de "verdadeira sabedoria" significa que as falsas existem. E que teremos acesso a elas. 
Gosto de pensar nisso como alguém que um dia ouviu uma melodia e passou a amá-la. E decidiu a partir daí que essa melodia vai ser a trilha sonora de sua vida, de sua caminhada. Essa é a verdadeira melodia, a melodia do Espírito. E é ela que toca em nosso coração, foi a que tocou nossa alma, é no compasso dela que a gente segue. São suas notas que nossa vida solfeja, passo por passo, compasso a compasso. É a melodia que preenche nosso coração e é a que ouvimos constantemente e conhecemos, é nela que temos prazer.
Olhando sob essa perspectiva, entendo que o versículo dois diz que, quando isso acontece dentro de nós, nossos ouvidos serão capazes de identificar qualquer nota que esteja em desarmonia com a melodia do Espírito. A falsa sabedoria destoará da sabedoria de Deus em nós. Não haverá sintonia. Daí, no exato momento em que as palavras soarem estranhas aos ouvidos, o coração que abrigou e ama a verdadeira sabedoria, receberá do Maestro da verdadeira melodia a destreza pra identificar e desprezar / descartar a falsa melodia. 
Se trata de um processo que passa por conhecer, prosseguir em conhecer e praticar diariamente as palavras de nosso Pai.
Essa melodia será a nossa vida e todo o restante caminhará no compasso dela - da melodia do Espírito. As vozes e melodias externas não mais definirão nossa maneira de andar, de sentir, de agir, de pensar... andaremos na terra ao som da melodia do céu!
Que seja assim, dia a dia - essa é minha oração hoje!
Amém!


Comentários

  1. É maravilhoso ouvir os conselhos divinos,e é igualmente maravilhoso ser instruída por alguém que os ouve e repassa. Obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Amizade de Getsemani

O Que O Pássaro Me Ensinou