Um sonho adormecido...uma agradável companhia na sala de estar!

Nem eu sabia que  sonhava com esse dia...
Mas agora que ele aconteceu descobri pela intensa felicidade que me causou, que não se trata apenas de uma felicidade comum, trata-se de um sonho adormecido. Quando construímos uma casa ou reformamos um cômodo queremos que algumas pessoas a vejam, a visitem... Era assim com essa casa, era assim com essa sala em que só os amigos de honra entram... mas que, até então, só eu tinha as chaves.
Hoje uma amiga tem as chaves, não só hoje - a partir de hoje. Ela não tem minhas chaves emprestadas, fiz cópias com as iniciais dela. Ela poderá entrar quando quiser, mudar o que quiser de lugar.
Cheguei aqui agora, mas ainda não fui até a poltrona. Prefiro não incomodar minha Pequena Gigante em seus pensamentos. Minha amiga de letra e música. Alguns amigos passaram por essa sala, mas nunca ninguém sentou-se nessa poltrona, nunca a dividi com ninguém. Nunca tive vontade de fazê-lo.
Emociona-me saber que existe mais alguém que goste dessa sala. Não de passar... mas de sentar-se na poltrona e acender a luz amarela do abajour. Mesmo que a melancolia  das luzes amarelas incomodem alguns, sei que ela entende porque as escolhi para minha sala. Luzes amarelas inspiram. Há um quê de intimista e inspirador na penumbra, inclusive na penumbra dos sentimentos... e ela, como eu, sabe disso! Ela sabe tudo o que sei e muito mais...ela entende e sente como eu sinto, e muito mais.
Natália Franco, bom saber que está na poltrona à vontade. Vamos...pode acender as luzes amarelas... pendure suas fitinhas coloridas, deixe essa sala com a nossa cara! Decore-a, transforme-a com seu bom gosto! Quem melhor do que você pra entender alguém como eu?
 Te amo Pequena gigante, minha casa é tua casa!

Comentários

  1. O que comentar diante disso né? Impossível!
    Encontrei um dos melhores lugares do mundo... minha mais nova sala de estar, de ficar, de curtir.
    Obrigada! =D

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Gosto de Puro Hoje

Entre Compassos e Descompassos