BOAS SÃO AS COISAS VIVAS!

O medo de perder nos faz cravar as unhas nos objetos de nosso medo.
De alguma forma, queremos manter as coisas com a gente, perto da gente, junto a nós. E, de certo modo, elas até ficam. Mas, enquanto ficam, sob essas circunstâncias, vão morrendo aos poucos - asfixiadas. Ficam por "obrigação, imposição", mas viram corpos inertes, inanimados, em nossos braços.
O que devemos entender é que boas são as coisas vivas. Coisas mortas, ainda que estejam junto de nós como sempre desejamos, não servem, não satisfazem.
A liberdade que damos (aos outros ou a nós mesmos) é o que confere vida a tudo aquilo que, espontaneamente, fica conosco (ou em nós).
Lembrando-me aqui da "mãe de verdade" na história das mães que disputavam o filho vivo, diante do rei Salomão. A mãe que detinha o "amor de verdade" não "cravou as unhas" no seu bebê para mantê-lo junto dela. Ela preferiu vê-lo longe, vivo. Isso é espetacular!
Vale à pena observar também o fato de que, um bebê morto não sente mais a dor de unhas cravadas em sua pele delicada.Mas, quem tem o seu "amado bebê" preso sob as unhas agoniza com dor profunda por tê-lo visto morrer, aos poucos. Quem aprisiona sob as unhas é mais prisioneiro de quem/daquilo que segura do que o próprio "segurado". [Nos tornamos reféns das coisas que prendemos às unhas, enquanto elas morrem aos poucos.]
Eu soltei todas. Elas, por conseguinte, estão vivas e lindas. E eu, sem dor alguma.
O amor de verdade proporciona liberdade, liberdade que conserva a vida!
Aquela mãe, obviamente não ficou sem seu bebê. Ela o teve de volta em seus braços. O amor lhe devolveu o que lhe pertencia. O amor sempre nos traz de volta o que é nosso!


É assim que enxergo hoje. Exatamente assim!

Comentários

  1. Fabuloooooooooooooooooooooso! Exatamente as palavras que eu precisava ler. MARAVILHOSO!

    ResponderExcluir
  2. rs...O que eu poderia dizer?
    Suas palavras são sempre generosas demais com meus textos! Que bom que lhe foi útil...oi fruto de um doloroso processo de "desapego". rs..
    A casa é sempre tua!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Amizade de Getsemani

O Que O Pássaro Me Ensinou