PALAVREAR?


Ao abrir a Bíblia hoje pela manhã, pra degustar mais uma bela lição de crescimento, de edificação (que,lógico, só acontecerá se o lido for praticado), deparei-me com um assunto intrigante sobre o qual há uma insistência por parte do Autor da Bíblia (para as pessoas de todas as épocas, inclusive e, principalmente, as de hoje): A LÍNGUA. 

Com expressões fortes o apóstolo Pedro dizia a respeito dela. Comparando esse ato à pôr freios nos cavalos para dominar os ímpetos de todo seu corpo, chegou a dizer que: 


 "AQUELE QUE CONSEGUE REFREAR SUA LÍNGUA SERÁ CAPAZ DE DOMINAR TODO O CORPO"

 Creio que não seja "privilégio" meu a dificuldade em controlar esse "órgãozinho" tão poderoso. Muitos de nós, ao concluirmos que, talvez, seja esse um dos maiores desafios propostos por Deus, desistimos de tentar levá-lo a cabo. Controlamos a gula, a preguiça, os apetites sexuais, a ira, a avareza, o consumismo... mas soltamos a língua e não colocamos guarda à porta de nossos lábios.
Esse é, sem dúvida, um assunto sério, para o qual Deus dá atenção especial. Por isso também deveríamos fazê-lo. Há um texto forte dito pelo próprio Cristo a respeito do assunto, vale a pena meditar nisso hoje.

"...Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.

O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.
Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.
Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.


                                                                                                                       ( Mateus 12:34-37) 

PALAVRA OCIOSA - o texto fala claramente de palavras inúteis, palavras vãs, que não promovem edificação, conforto, consolo... palavras sem peso, palavras ditas e não corroboradas pelas atitudes, etc.

Deus pesa nosso espírito na balança e sabe qual é o teor de nossas palavras, sabe quais as motivações que nos levam a verbalizar cada sílaba.
Deus terá diante dele um memorial com cada uma de nossas palavras no dia do juízo final. E, com base nesse histórico que, inconscientemente, estamos deixando registrado no céu de Deus, seremos justificados, ou condenados.
Com nossa boca podemos bendizer ou amaldiçoar. Com ela podemos ferir ou curar. Com ela podemos matar ou livrar da morte. Com ela podemos abater o alegre ou alegrar o abatido. Por meio dela poderemos entrar no céu ou no inferno. 
´
  A língua também é um fogo; sim, a língua, qual mundo de iniqüidade, colocada entre os nossos membros, contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, sendo por sua vez inflamada pelo inferno.

Temos domínio das palavras somente enquanto elas ainda estão conosco. Como lê-se por aí: 

SOMOS DONOS DO QUE CALAMOS E ESCRAVOS DO QUE FALAMOS.

Portanto, minha oração para o dia de hoje é a mesma do Rei Davi, em um de seus Salmos:

Põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios.
Salmos 141:3

Lábios que se guardam e línguas refreadas chamam a atenção de Deus para si quando clamam. O salmista entende isso e, ao guardar-se das palavras vãs e destrutivas, pede a Deus que ouça sua voz. Quem terá coragem de pedir a Deus que incline os ouvidos as suas palavras se essas não forem boas? Quem terá coragem de pedir ao Deus onisciente que atente para o que diz se as palavras não podem ser respaldadas pelo que tem no coração?
Davi sabia que se tivesse o coração puro atrairia a atenção de Deus quando clamasse. Ele sabia que lábios que se guardam transformam orações em incenso que sobe até as narinas de Deus.
Que seja assim comigo e com você hoje...

QUE NOSSAS PALAVRAS SEJAM INCENSO AGRADÁVEL A DEUS!




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gosto de Puro Hoje

Cinza, com o sol por detrás